Cookies on the PokerWorks Website

We use cookies to ensure that we give you the best experience on our website. If you continue without changing your settings, we'll assume that you are happy to receive all cookies on the PokerWorks website. However, if you would like to, you can change your cookie settings at any time.

Continue using cookies

Notícias | Poker Online

A empresa KGC entrega o Relatório Final sobre escandalo no Poker Online

Compartilhe

Em Janeiro de 2008 surgiram as suspeitas de fraude nas mesas do Ultimate Bet, fraude que acontecia através de contas com capacidade de ver todas as cartas dos adversários.

No fórum TwoPlusTwo começaram a aparecer vários usuários  denunciando jogadores com ganhos absurdos, registados no PokerTracker. Analisando as mãos em que esses jogadores participavam, concluiu-se que as decisões desses jogadores só tinham uma explicação, se tivessem vendo as cartas dos adversários.

O primeiro relatório da empresa KGC - Kahnawake Gaming Commission - que veio a público em 2008, mencionava o nome de Russ Hamilton (vencedor do Main Event do WSOP de 1994, e executivo da sala) como o principal responsável por esta fraude. O relatório final, veio a público no dia 11 de Setembro, explica em detalhes o modus operandi de Hamilton e seus cúmplices.

Entre Junho de 2003 e Dezembro de 2007 o software que permitia ver as cartas da mão dos adversários estava associado a conta AuditMonster2, sendo que uma outra conta AuditMonster1 tinha os mesmos privilégios mas não há provas de que tenha sido usada nas fraudes.

Foram criadas 23 contas, 117 usuários, e acrdita-se que além de Hamilton estiveram envolvidas mais 31 pessoas, que permanecem no anonimato. No relatório final pode-se ver os nomes dos usuários de todas as contas.

A Towkiro Enterprises, empresa proprietária da Ultimate Bet, foi obrigada a reembolsar 22 milhões de dólares aos jogadores afetados, e também teve de pagar $1,5 milhões à KGC pelos custos da investigação. Towkiro Enterprises que adquiriu a sala depois do início desta fraude.

Lembramos que este caso teve uma repercussão muito grande nos Estados Unidos da América, que chegou a ser o tema principal do programa que é um Marco do Jornalismo Mundial - 60 Minutes.