Cookies on the PokerWorks Website

We use cookies to ensure that we give you the best experience on our website. If you continue without changing your settings, we'll assume that you are happy to receive all cookies on the PokerWorks website. However, if you would like to, you can change your cookie settings at any time.

Continue using cookies

Notícias | Mundo do Poker

Gowen Encara Destituição Da Maioria De Seus Processos Contra O Full Tilt

Compartilhe
O processo foi preenchido em Novembro de 2008 e pegou a maioria da comunidade do poker de surpresa, já que Clonie Gowen, membro da família Full Tilt Poker há muito tempo, processou a empresa e muitos de seus parceiros por inúmeras irregularidades, incluindo quebra de contrato e fraude.

Quando foi dada a entrada no processo  na Corte Distrital de Nevada, foi revelado que Gowen pedia $40 milhões por danos. Por anos, um contrato verbal permitia que ela representasse o Full Tilt Poker em torneios de poker por todo o mundo e em outros eventos, por troca de uma porcentagem na propriedade da empresa, mas quando ela tentou receber as compensações que outros receberam em 2008, o pedido lhe foi negado. Ela então abriu o processo de quebra de contrato, quebra de deveres fiduciários, violação do pacto de boa fé, enriquecimento ilícito sobre o uso de sua imagem e fraude devida a deturpação intencional.

A resposta do Full Tilt Poker/Tiltware LLC veio em Janeiro de 2009 em forma de uma moção para destituir as reclamações. Incluídos na moção estavam comentários sobre “tufão de litígios” e “alegações aleatórias”, saídas de sua “sede por publicidade”. Eles pediam que os processos individuais de 13 pessoas – o time Full Tilt Poker inteiro – fossem destituídos, junto com a maioria de suas reivindicações.

Gowen então entrou com um novo processo, mas ao invés de retirar as acusações sobre alguns dos processados ela incluiu mais dois – a Consultoria Pocket Kings e a Tiltproof. Ela também adicionou mais algumas reclamações. Uma semana depois ela preencheu uma moção para acelerar o processo.

Nos primeiros dias de Maio, foi revelado que no dia 27 de Abril uma audiência na já mencionada Corte Distrital destituiu a maioria do caso. O Juiz Robert J. Johnston negou seus pedidos com base na falta de mérito, junto com todas as acusações a todos os indiciados, exceto a Tiltware LCC, o dono Ray Bitar e o membro do Time Full Tilt Poker Howard Lederer. Foram liberados do processo livres de qualquer responsabilidade o Full Tilt Poker, a Pocket Kings, Chris Ferguson, Phil Gordon, Andy Bloch, Phil Ivey, John Juanda, Erick Lindgren, Jennifer Harman, Erik Seidel, Mike Matusow, Allen Cunningham, Gus Hansen e Patrik Antonius.

A única abertura apresentada a Gowen foi a destituição dos casos da Tiltware LCC, Ray Bitar e Howard Lederer “sem prejuízo”, o que permite a reapresentação do caso contra estes três em particular. Os advogados de Gowen prontamente apresentaram uma moção para estender o caso e para a revisão secundária das alegações não deferidas pelo juiz. Eles também preencheram uma petição alegando que a destituição foi um erro e uma apelação seria necessária para resolver o caso.

Enquanto ainda há espaço para os advogados de Gowen se movimentarem, a probabilidade de que ela receba alguma compensação monetária por suas acusações parece quase nula. Com a maioria do processo destituído e a apelação sobre algumas reclamações selecionadas sem nenhuma perspectiva de sucesso, o grupo Full Tilt Poker parece ter ganhado e escapado sem precisar um único centavo a Gowen.