Cookies on the PokerWorks Website

We use cookies to ensure that we give you the best experience on our website. If you continue without changing your settings, we'll assume that you are happy to receive all cookies on the PokerWorks website. However, if you would like to, you can change your cookie settings at any time.

Continue using cookies

Notícias | Mundo do Poker

Estudo Feito Pela Cigital Mostra Que A Habilidade Supera O Acaso No Poker

Compartilhe
Um novo estudo foi publicado com o intuito de provar que o poker é, sem sombra de dúvidas, um jogo de habilidade. A Cigital, em cooperação com a Rational Enterteinment Enterprises Limited (REEL) e o PokerStars, liberou recentemente as conclusões sobre o estudo de 103 milhões de mãos.

A publicação, chamada de “Análise Estatística do Texas Hold’em”, foi desencadeada por uma necessidade da indústria do poker de fornecer dados que mostrem que o poker é um jogo de habilidade e não de sorte. Os autores Paco Hope (Gerente Técnico da Cigital), Brian Mizelle (Gerente Principal da Cigital) e Sean McCullch (PHD e Professor da Universidade Ohio Wesleyan) publicaram o estudo, seguido por uma conferência marcada para explicar os resultados às partes interessadas na sexta-feira, 27 de Março de 2009.

Recentemente as Cortes de Colorado e Carolina do Sul pediram o testemunho de especialistas do campo de estatísticas, teoria do jogo e poker para tentar provar nas Cortes que o poker não é um jogo de chances e que não deveria, sob os olhos da lei, ser considerados como tal. Enquanto muitos juízes estão não apenas permitindo esse argumento, mas concordando com ele, um estudo que pode ser usado pelos advogados pode ser muito útil. O estudo feito pela Cigital preenche esta lacuna.

As 103 milhões de mãos foram tiradas de uma série de cash games de Texas Hold’em no PokerStars, jogadas entre 1º de Dezembro de 2008 e 02 de Janeiro de 2009. Todas estas mãos foram retiradas da aba “micro-limits”, com blinds de 10, 25 e 50 centavos. A Cigital estudou os dados “sem predisposição com relação ao resultado final” e descobriu que a maioria das mãos jogadas foram ganhas independentemente do valor das cartas, já que apenas 24,3% das mãos chegaram ao showdown e apenas 50,3% destas foram ganhas pelo jogador que tinha a melhor combinação de cinco cartas. A estatística mais interessante foi que apenas 12% das mãos foram ganhas por jogadores que fizeram a melhor mão e chegaram ao showdown para levar o pote. A grande maioria das mãos foi decidida através das estratégias de apostas que independiam da melhor mão de cinco cartas.

A indústria do poker não só tomou nota do estudo, mas a Poker Players Alliance o elogiou em um comunicado a imprensa. Como a PPA tem se envolvido em inúmeros casos legais no que diz respeito a regularização do poker em níveis estaduais e federais, o estudo será certamente mais uma prova que será utilizada em casos futuros para firmar o ponto de que o poker é um jogo de habilidade.

O Presidente da PPA e ex-senador Alfonse D’Amato disse: “Como jogador de poker eu posso falar que saber quando ficar em uma mão ou dar fold não é um fator baseado apenas nas cartas que você recebe, mas em uma série de decisões baseadas na sua habilidade e na ação tomada por outros jogadores. Este estudo fornece os dados brutos para suportar os argumentos feitos pelos jogadores de poker de todo o mundo que é a habilidade, não a sorte que determina o resultado do jogo”.

O Diretor Executivo da PPA John Pappas adicionou: “A questão sobre se o poker é um jogo de sorte ou habilidade não tem nada a ver com o ego dos jogadores, mas com a proteção legal do jogo. Em audiências por todo o país, os juízes e jurados estão descobrindo que o poker é um jogo de habilidade – não sorte como caça-níqueis ou loterias – e este estudo confirma esse fato”.

A comunidade do poker acredita desde sempre que o poker envolve muito mais habilidade do que sorte, mas um estudo com fatos que provam isso não havia sido realizado até agora. Como afirmado pela Cigital, “Este estudo conclui que o resultado de 103 milhões de mãos observadas de Texas Hold’em foi determinado pela habilidade com maior freqüência do que pela sorte, e por uma margem significante”. Uma prova como essa pode ser exatamente o que o sistema legal e político precisavam para tomar as decisões corretas no que diz respeito à regulamentação e legalização do poker.

Para fazer com que os seus representantes políticos conheçam este estudo, visite o site da Poker Players Alliance para mais informações.

*Comente Esta Notícia*