Cookies on the PokerWorks Website

We use cookies to ensure that we give you the best experience on our website. If you continue without changing your settings, we'll assume that you are happy to receive all cookies on the PokerWorks website. However, if you would like to, you can change your cookie settings at any time.

Continue using cookies

Notícias | Pessoas no Poker

Mesa Redonda – Jogadores do Futuro - Adam ‘Akat11’ Katz

Compartilhe
O jogador de 25 anos da Flórida Adam Katz está atualmente no circuito de torneios. Um jogador online que virou profissional do live, Katz já acumula mais de $800.000 em torneios online e $ 329.900 em resultados ao vivo.

KL: Como você entrou no poker?

Adam:
Eu estava ficando chateado com a escola e não tinha certeza do que queria fazer. Eu havia jogado por centavos quando criança e comecei a jogar em jogos caseiros com meus amigos em Orlando. Eu gostei do jogo e depositei algum dinheiro no Absolute Poker. Alguns meses depois eu estava jogando os sit & gos e torneios mais caros do site, mas demorei quase um ano para entrar em sites como o PokerStars e Full Tilt Poker.

KL: Por que você esperou tanto para entrar nos outros sites?

Adam:
Eu tive problemas ao fazer a mudança no começo. Não conseguia entender como eu tinha sucesso em um site e não no PokerStars ou Full Tilt Poker. Mas o que acontecia é que o nível de jogo era tão melhor e diferente que eu tive que fazer alguns ajustes. Eu fiquei obstinado e pensava: “se me deu muito dinheiro no Absolute Poker, o mesmo estilo tem que funcionar no PokerStars.” Levou um tempo para eu reajustar meu jogo, e foi quando o poker se tornou ainda mais interessante para mim, pelo desafio e constante adaptação que ele impõe e requer.

KL: Você tinha algum emprego e desistiu da escola para jogar?

Adam:
Eu trabalhei em diversos lugares, mas o último foi na The Cheesecake Factory. Foi onde os jogos caseiros começaram. Eu não desisti da escola necessariamente quando descobri o poker. Eu já tinha desistido antes. Eu só tinha duas matérias por semestre, já tinha perdido minha bolsa de estudos e não gostava do que eu estava estudando e nem sabia o que eu gostaria de fazer.

KL: Como você soube que poderia tratar o poker como uma carreira?

Adam:
Eu acho que já me achava bom o suficiente em alguns meses, mas acho que eu estava errado. Provavelmente um ano e meio depois eu percebi que poderia chegar a algum lugar.

KL: O que fez você perceber?

Adam:
Bem, eu havia ganhado vários torneios no Absolute, etc., mas cerca de um ano e meio atrás eu comecei a chegar com frequencia em torneios médios no PokerStars e no Full Tilt Poker. $11 com rebuys e $55 com rebuys e os torneios regulares de $50 a $150. Durante este período eu tive a sorte de me tornar amigo de vários profissionais top do poker online e sou abençoado por ter uma curva tão rápida de aprendizado. Eu teria levado anos para chegar aonde eu cheguei sem a ajuda dos meus amigos.

KL: Qual foi a coisa mais importante que já te disseram?

Adam:
A coisa número um acho que foi Bryn Kenney. “você precisa ter confiança.”, e é a mais pura verdade. Quando você joga com confiança você não se questiona ou muda de opinião. Você segue seus instintos e faz as jogadas que acha que tem que fazer. Se você joga de maneira tímida você acabará jogando mal e deixará que outros aproveitem oportunidades que não deveriam. Provavelmente o mais importante é pensar como um vencedor. Amit Mahkija, Bryn Kenney, etc., sempre me ensinaram como pensar da maneira correta. Decifrar as mãos passo a passo, juntar as peças, etc. Além disso, conversar diariamente com Ben Palmer e Jamie Rosen me ajudou demais também.

KL: qual o seu maior feito no poker ou do que você se orgulha mais?

Adam:
Provavelmente de fazer a mesa final no Foxwoods , mas eu gosto muito da minha série depois disso, onde eu ganhei seis torneios nos dois meses seguintes. É difícil atingir uma consistência no poker, portanto você se sente muito bem quando consegue. Foxwoods seria o número um se eu tivesse ganhado algum coin-flip e tivesse chegado em uma colocação melhor do que a quinta.

KL: Qual você gosta mais e em qual você acha que é melhor?

Adam:
Eu prefiro o jogo live e acho que sou melhor nele. Eu acho que consigo passar uma boa imagem e é um jogo muito mais fácil. As pessoas me veem e não querem dar fold. Eles veem um garoto com um relógio brilhante e imediatamente pensam: “Eu não vou deixar que um moleque desse me passe pra trás.” Acontece muito onde eu joguei quatro mãos em uma mesa em 30 minutos. Assim que eu aumento alguém comenta sobre como eu sempre aumento no seu blind ou algo assim. Percepção e imagem são tudo no poker ao vivo. Eu só preciso descobrir o que cada um pensa sobre mim e jogar de acordo com isso.

KL: O que é um mês normal para você? Você está viajando muito?

Adam:
Eu geralmente estou fora por três semanas no mês, e volto para Vegas na outra semana, se o torneio não é em Vegas, é claro. Eu viajo mais dentro dos estados Unidos e a lugares como Bahamas. Eu viajo com um ótimo grupo de amigos e tenho a casa número 1 no poker.

KL: O que você quer dizer com isso?

Adam:
Eu, Amit ‘amak316’ Mahkija, Ben ‘shankingyou’ Palmer, Hunter ‘hemipowerswt’ Frey e Jamie ‘TheCronic420’ Rosen vivemos juntos em Vegas. Você não encontrará cinco jogadores melhores que moram juntos.

KL: O que você quer conquistar no poker?

Adam:
Como tudo na vida, eu quero ser o melhor ou um dos melhores. Meu objetivo principal agora é um prêmio de mais de $500K. Eu acho que vou ganhar um torneio ao vivo de $5.000 ou $10.000 logo. Eu me sinto muito bem para os próximos meses. Esperem para ver meu nome em diversos torneios.