Cookies on the PokerWorks Website

We use cookies to ensure that we give you the best experience on our website. If you continue without changing your settings, we'll assume that you are happy to receive all cookies on the PokerWorks website. However, if you would like to, you can change your cookie settings at any time.

Continue using cookies

Notícias | Mundo do Poker

Escândalo UltimateBet ainda não terminou, e Russ Hamilton pode estar envolvido

Compartilhe
Está longe do fim.

As acusações de trapaça dentro do UltimateBet vieram à tona em Janeiro de 2008, e a empresa tomou seu tempo para se interar do problema, sem dar uma declaração sobre o assunto até Março. Após meses de investigações por uma empresa terceirizada, uma declaração foi liberada em 29 de Maio, reconhecendo que super-usuários tiravam vantagem do software permitindo o acesso às cartas de todos os jogadores na mesa e a trapaça no site.

A declaração “final” foi veiculada dias antes do início da WSOP, ao que parece com a esperança de encerrar o assunto e permitir que os jogadores e representantes do UltimateBet estivessem na WSOP sem questionamentos e amolações. No entanto, o comunicado liberado à imprensa detalhava a investigação das contas dos super-usuários envolvidas, e as medidas tomadas para garantir a segurança dos jogadores daquele momento em diante não foi o final. De fato, enquanto acontecia a WSOP, mais fatos vieram à tona e que colocavam o UltimateBet no pior cenário possível.

Em 5 de Junho, o Ultimatebet liberou sem alardes outro comunicado na página de notícias de seu site. O curto anúncio dizia que os jogadores afetados pelo escândalo começaram a ser reembolsados em 29 de Maio – a data da última nota – mas anunciou também outras contas que tinham participado das trapaças. “Estamos confiantes que descobrimos a maioria dos usuários envolvidos na fraude e iniciamos os reembolsos correspondentes. No entanto, estamos analisando dados para usuários adicionais que aparentam ter atividades suspeitas... Esperamos ter a investigação concluída até 30 de Junho de 2008.”

Apenas um mês depois, após o anuncio do final das investigações, o UltimateBet veiculou outro comunicado, esse dizendo que a investigação continuava e mais nomes de contas foram adicionados à lista de contas usadas pelos trapaceiros. As novas contas eram Crackcorn55, WhakMe, GrabBag123, gravitation, Bgroup, H_Curtis, Twenty 1, WacoManiac, Broke_In_L.A., ShaqTack, BlueBerry101, HolyMucker, 55WasHere, Xnomas, dannyboy55, Indy05, e SlimPikins2. O comunicado veio a anunciar o seguinte:

“Nós também confirmamos que as trapaças começaram antes do que nós acreditávamos inicialmente. Nós agora podemos confirmar que as trapaças começaram em Janeiro de 2005, bem antes da Tokwiro Enterprises ENGR adquirir o UltimateBet dos antigos donos. Tokwiro lamenta não ter descoberto esta situação durante a diligência para compra do UltimateBet em Outubro de 2006, e que nós não tenhamos identificado as atividades fraudulentas até esta recente investigação...

A Tokwiro se considera uma vítima desta fraude e continuamos a explorar nossas opções legais. Como parte de nossos esforços, estamos compilando todas as informações que colhemos no que diz respeito aos autores e suas atividades, para o possível uso em qualquer ação legal. Continuaremos a fornecer as atualizações de nossas investigações, pois ainda estamos monitorando algumas contas...”

A investigação não está completa. Até o dia 22 de Julho não temos atualizações no site do UltimateBet.

Mas há mais. Dias depois, uma bomba foi lançada por ninguém mais ninguém menos que Nat Arem, o principal investigador que descobriu e anunciou os escândalos no Absolute Poker.

Em 13 de julho, Arem escreveu em seu blog que ele recentemente começou a se envolver no caso UltimateBet após ter acesso ao histórico de transferências e descobriu que era difícil não ver a evidência de super-usuários. Da informação que ele colheu uma era uma peça chave. Ele buscou informações sobre as contas nvtease/NoPaddles/sleepless, contas de super-usuários confirmadas, liberadas pelo UltimateBet, e as rastreou até um endereço em Nevada – o endereço da casa de Russel Hamilton.

Para os que não sabem, Russ Hamilton foi o campeão do Main Event na World Series of Poker de 1994, mas o mais relevante nesta situação, ele era um dos donos anteriores do UltimateBet, antes que a Tokwiro Enterprises comprasse o site, embora o seu papel na empresa – antigo ou corrente – permaneça incerto. Além disso, Hamilton foi um dos fundadores do Ultimate BlackJack Tour e o associado site de torneios de blackjack on-line. Suas digitais estão por todo lado no UltimateBet, o que torna a ligação das contas de super-usuários e sua casa e as conclusões tiradas disso muito mais plausíveis.

Arem admite que essa evidência não é conclusiva, embora ele permaneça com as ligações que descobriu no que diz respeito a Hamilton. Ele escreveu “Novamente, é possível que seus amigos, propositalmente ou não, armaram para parecer que ele tenha sido um dos beneficiários do esquema de trapaças. Definitivamente possível. Difícil de acreditar? Absolutamente.”

Hamilton não falou publicamente. Ele não respondeu um e-mail requisitando sua entrevista para este artigo. Quando Barry Greenstein e Joe Sebok tentaram entrevistá-lo para um episódio da Rádio PokerRoad em 16 de Julho, ele Hamilton recusou seguindo o conselho de seu advogado. Enquanto ele se encontrou com Barry Greenstein e Joe Sebok em particular, ele apenas disse que seu nome seria limpo no final das investigações, mas com o seu advogado do seu lado, ele não poderia discutir as contas do UltimateBet ou sua conexão, ou falta dela, à essas contas. No final, até o que a imprensa sabe, ele não publicou nenhuma nota oficial, nem seu advogado.

O escândalo do UltimateBet continua sem solução e mais misterioso a cada dia. Sem declarações por parte do UltimateBet que Hamilton tenha sido oficialmente indiciado, embora as evidências de Arem apontem diretamente para isso, o público novamente espera por respostas.

Ao contrário do que o UltimateBet diz esta investigação – ou escândalo, pois na verdade foi nisso que se transformou – está muito longe do fim