Cookies on the PokerWorks Website

We use cookies to ensure that we give you the best experience on our website. If you continue without changing your settings, we'll assume that you are happy to receive all cookies on the PokerWorks website. However, if you would like to, you can change your cookie settings at any time.

Continue using cookies

Notícias | Pessoas no Poker

Mesa Redonda - Daniel Negreanu fala sobre a WSOP.

Compartilhe

Quando Daniel não está ganhando braceletes  ele está trabalhando constantemente com a WSOP para fazer a série melhor a cada ano. Agora ele também está trabalhando com jogadores de poker no seu novo site, o Poker VT.

KL: Primeiro, parabéns pelo bracelete neste ano. Isso tirou a pressão para você jogar os outros eventos?

Daniel
: Sim, especialmente quando você ganha um no início. Eu sou um jogador experiente, e quando sinto que estou jogando bem as coisas começam dar certo. Eu joguei uma série muito boa, mas tirar o peso de ter que ganhar um bracelete logo no início faz você sentir que pode ganhar um segundo ou terceiro a qualquer momento. Você sente que está próximo.

KL: Porque você acha que a série foi dominada por profissionais este ano?

Daniel:
Eu odeio dizer que é tudo por minha causa, mas eu tive muita participação junto com os jogadores e o conselho de jogadores ao concertar a péssima estrutura do ano passado. Houve alguns erros com a estrutura, especialmente no ano passado. Este ano a estrutura estava rápida no início, o que faz sentido, e gradualmente foi diminuindo para que houvesse muito jogo no final. Torna o final muito mais baseado na habilidade, diferente do ano passado. Você pode ver pelos resultados, nas mesas finais os profissionais realmente brilharam e se sobrepuseram nos momentos cruciais.

KL: A maior mudança da WSOP foi a estrutura de torneios?

Daniel:
Existiram mais mudanças. Os buy-ins subiram, portanto tivemos muito mais eventos de $10.000. Eu realmente acho que a razão principal foi simplesmente por essa ter sido a melhor estrutura da história das WSOP. Nos últimos anos você tinha apenas torneios muito baseados na sorte. Este ano eles estavam voltados para a habilidade. O crescimento dos blinds foi devagar e muito menos pressão para dobrar seu stack, "gambling" para se manter vivo. Os profissionais puderam jogar, esperar, construir seu tempo. Foi muito mais parecido com um evento WPT.

KL: Os jogadores puderam contribuir bastante?

Daniel:
Foi maravilhoso. Eu tiro meu chapéu para Jeffrey Pollack. Ele merece aplausos de todos nós. No começo, formamos este conselho e disseram que participaríamos das decisões, mas nós não estávamos certos disso. Mas nós tivemos MUITA participação. Nos encontrávamos o tempo todo e discutíamos de preço de comida a assuntos relacionados ao banheiro, de estrutura de torneio a quais tipos de eventos que seriam jogados e quando deveriam ser jogados. Nós realmente trabalhamos em conjunto com a WSOP e o Harrah's, e eles foram fantásticos ao ouvirem o que tínhamos pra falar. Se olhar para esta World Series verá que foi a mais bem-sucedida de todos os tempos. Foi muito bem planejada, organizada e é realmente muito difícil fazer isso em tão larga escala e com tantas pessoas passando por aqui. Eu acho que eles se superaram este ano e muito disso é devido às nossas conversações.

KL: Você acha que existe algo que você queira ver acontecendo no futuro?

Daniel
: Sim, e isso irá acontecer. Na WSOP, achávamos que tínhamos tudo sobre controle, mas é claro que pequenas coisas sempre aparecem. Precisamos de alguns ajustes aqui e ali, talvez para o ano que vem podemos fazer esse dia um pouco menor, aquele um pouco maior, e isso é meio que como tentativa e erro mesmo. A cada ano que passa, desde que o Harrah's assumiu, nós vemos progresso e está mesmo ficando cada dia melhor. Para o ano que vem espero uma série tão boa quanto a desse ano, se não for melhor.

KL: Falando em melhorar, você tem um site de treinamento chamado Poker VT. O que as pessoas podem esperar deste site?

Daniel:
O Poker VT é o mais próximo que você vai chegar de um treinamento cara a cara comigo. Nós fazemos isso de muitas maneiras. Você não só verá eu jogando on-line através dos vídeos, o que é comum entre os outros sites, mas temos vídeos de eventos ao vivo, onde eu paro e analiso as mãos jogadas. Temos também aquelas mãos onde todos na mesa usam headphones e conversam sobre o que estão pensando. Há também um curso extensivo sobre o small ball e como aplicá-lo. Há tanto conteúdo lá, Perguntas e Respostas e coisas como essa. Essencialmente é como se tudo que eu sei sobre poker estivesse lá. Eu passei um ano e meio gravando vídeos e as respostas que tivemos até agora são incríveis. Os softwares e a estética do site não se comparam nem de longe com tudo que há por aí. É realmente limpo, bem acabado, com tecnologia de ponte. É tudo o que há de melhor.

KL: Se expor dessa maneira, e colocar seu jogo lá te prejudicará de alguma maneira?

Daniel:
Não afeta diretamente o meu jogo, de fato ajuda a reforçar quando eu faço as lições e coisas desse tipo. Certamente dá às pessoas uma visão direta de como eu penso mas a melhor coisa sobre o que eu ensino é que mesmo quando as pessoas conhecem muito sobre como você joga é que você ainda pode tirar vantagem de tudo isso. Há uma contra estratégia para a estratégia.

KL: Quando você joga on-line no PokerStars e o que você geralmente joga?

Daniel:
Eu jogo $200-$400 Limit Hold'em, vou tentar jogar o $500-$1.000 HORSE e de vez em quando $200-$400 PLO, ou $100-$200 No Limit Hold'em. Eu jogo qualquer jogo, desde que seja grande. Eu preferiria jogar HORSE, mas a maioria dos jogadores tem medo.