Cookies on the PokerWorks Website

We use cookies to ensure that we give you the best experience on our website. If you continue without changing your settings, we'll assume that you are happy to receive all cookies on the PokerWorks website. However, if you would like to, you can change your cookie settings at any time.

Continue using cookies

Notícias | WSOP

Mesa Final Evento #48 - $2,000 NLHE – Alexandre Gomes traz o primeiro bracelete para o Brasil.

Compartilhe

$500 não impedem que os jogadores de NLHE participem em massa de um torneio de poker. Por isso o Evento #48 $2,000 NLHE começou na sexta-feira com 2.317 jogadores (número semelhante aos eventos de $1.500), e se reduziu a nove no sábado. A mesa final começou no domingo, com Marco Johnson liderando a disputa. Os finalistas e a contagem de fichas de cada um eram:

Seat 1: Dan Rome (Millington, Illinois) 650,000
Seat 2: Ryan D'Angelo (Blacksburg, Virginia) 520,000
Seat 3: Marco Johnson (Walnut Creek, Califórnia) 2,135,000
Seat 4: Kirill Gerasimov (Moscow, Russia) 1,145,000
Seat 5: Robert Brewer (Sherman Oaks, California) 1,050,000
Seat 6: Gabe Costner (Long Beach, Mississippi) 1,475,000
Seat 7: Alan Cutler (Vernon Hills, Illinois) 535,000
Seat 8: Alexandre Gomes (Curitiba, Brasil) 1,075,000
Seat 9: Sverre Sundbo (Oslo, Noruega) 685,000

Dan Rome fez um dos movimentos mais clássicos que um jogador de poker gosta de fazer. A ação chegou em fold até ele, e Rome decidiu que iria ganhar o big blind e os ante, e para não sofrer um call, ou até mesmo um re-raise, ele moveu all-in de 475K no total. Esse movimento é muito funcional se você consegue fazer seu oponente desistir, mas geralmente quando você é pago, é o seu fim. Rome foi pago, rapidamente, por D'Angelo que tinha par de Ases. Rome tinha 5-4 de espadas e não conseguiu nenhum milagre, terminando assim na 9ª colocação, com um prêmio de $71.687.

Gabe Costner chegou em segundo lugar à mesa final e em excelente posição para ir longe. Ele dobrou Sverre Sundbo no início da mesa final e não conseguiu se recuperar. Sua mão final foi um A-9, em um all-in pré-flop, que encontrou Robert Brewer com A-10. O bordo não o salvou, e Costner foi o oitavo colocado, ganhando um prêmio de $103.315.

Sverre Sundbo não demonstrou medo de colocar seus oponentes em teste. Muitas vezes lê anunciou all-in para roubar blinds e raises, forçando os adversários ao fold. Ryan D'Angelo esperou o momento certo para pegar Sundbo em um desses moves. D'Angelo abriu o pote por 125k e Sundbo moveu all-in de quase um milhão de fichas. D'Angelo pagou mostrando A-Q, bem à frente de Sundbo que tinha Q-6. O flop trouxe A-5-4, e quando o turn foi um 10, Sundbo estava eliminado. Ele terminou na sétima colocação, com um prêmio de $134,942.

D'Angelo continuou com a boa fase, quando em um all-in pré-flop com Kirill Gerasimov (que estava na sua segunda mesa final nesta WSOP) e seu A-Q ganhou do par de Valetes de Gerasimov quando um Ás apareceu no river. Gerasimov saiu muito desapontado, na sexta colocação, com um prêmio de $177,111.

Pobre Alan Cutler. Cutler abriu um raise do botão de 175K e Alexandre Gomes moveu all in nos blinds, em um montante que deixaria Cutler com cerca de 700k em caso de derrota. Cutler deu o call com A-Q e Gomes abriu 7-6 de espadas. O flop veio A-Q-J e Cutler estava com uma grande liderança. O turn foi um 6, e só outro 6 no river salvaria o Brasileiro. O river foi um milagroso 6, e a torcida brasileira foi à loucura. Cutler ficou encarando o bordo, ainda sem acreditar no que havia acontecido.

Na mão seguinte, Cutler aumentou novamente, desta vez para 200K. Talvez pensando que Cutler estivesse tiltado, Marco Johnson moveu all in por cima do raise de Cutler, que rapidamente pagou, mostrando que não estava em “tilt”... ele tinha par de Damas. Johnson tinha um par de cincos. Alguns dias, simplesmente não são o seu dia. Um 5 no flop deixou mais do que provado que esse não era o dia de Cutler, já que ele estava eliminado na 5ª colocação, recebendo um prêmio de $223,497.

Robert Brewer seria eliminado ao colocar todas suas fichas no pote em um draw. Brewer pagou um raise pré-flop de Ryan D'Angelo, e saiu disparando325k em um flop com K-8-5 e duas cartas de copas. D'Angelo apenas deu call na aposta. O turn foi um 4 e Brewer deu check. D'Angelo moveu all in e Brewer pagou rapidamente com 10-7 de copas. D'Angelo tinha par de Reis, e um set no flop, e precisava evitar uma carta de copas ou um 6. Nenhuma destas cartas apareceu, e Robert Brewer terminou na 4ª colocação, com um prêmio de $274,101.

A boa fase de D'Angelo acabou quando ele dobrou as fichas de Gomes. Após apostar 420K em um bordo com 2-2-Q-2 e ser pago por Gomes, D'Angelo moveu all in quando um Ás apareceu no river. Gomes deu call com A-10 e levou o pote.

Essa mão colocou Gomes na liderança da mesa final, com 3,5 milhões de fichas, deixando D'Angelo com 2,8 milhões. Os dois enfrentaram outro all-in momentos depois, em um clássico coin-flip. Gomes tinha 9-9 e D'Angelo tinha A-Q. O flop trouxe um 9 e D'Angelo estava eliminado.

D'Angelo terminou na terceira colocação, com um prêmio de $326,812.

O Heads up começou com uma grande liderança do brasileiro, com Alexandre Gomes segurando 6,7 milhões de fichas na sua frente, contra 2,5 milhões de Marco Johnson. Isso mudou rapidamente em outro flip-coin, com um all-in pré-flop. Desta vez Johnson levou a melhor, com um par de Valetes contra A-Q de Gomes, assumindo a liderança com 5 milhões de fichas contra 4,2 milhões de Alexandre.

Johnson ganhou mais alguns potes, e aumentou sua liderança para 2:1. Nesta hora ele recebeu um par de Ases e abriu o pote com um raise de 280K. Ele certamente achou que era o fim, quando Gomes moveu all in. Johnson pagou para ver Gomes mostrar A-10. O flop trouxe K-10-3 dando esperanças a Gomes. Os torcedores Brasileiros pularam e vibraram como nunca (até agora, pois o melhor estava por vir) quando o turn trouxe um 10. Inacreditável! Um Valete no river não mudou nada, e o jogo equilibrava novamente.

Talvez ainda com o par de Ases na cabeça, Johnson moveu all in de mais de 3 milhões de fichas após um raise para 300k de Alexandre Gomes. Gomes pagou com A-K de espadas, e muito à frente do Q-J de espadas mostrado por Johnson. Um Ás no flop trouxe decepção para Marco Johnson', que terminou o torneio na segunda colocação. Ele recebeu um belo prêmio de $491,273.

Alexandre Gomes teve a sorte que todos os campeões precisam no poker… ele fez as jogadas certas nas horas certas… E prova disso é o seu bracelete. Ele ganhou o Evento #48, o torneio $2,000 NLHE. Por sua vitória, Alexandre recebeu um prêmio de $770.540, além do inédito bracelete de ouro para o Brasil. Parabéns por sua vitória Alexandre Gomes!